Motoristas do Samu ameaçam paralisação por falta de pagamento

Salvador pode ficar sem ambuçâncias na quinta-feira (02)

Os condutores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) organizam uma paralisação de 24 horas, a partir das 7h de quinta-feira (02), após atraso de dois meses no salário. Caso aconteça qualquer emergência de saúde em Salvador, pode ser que as ambulâncias não estejam disponíveis para atender ao chamado.

De acordo com o Metro1, todos os condutores foram exonerados em março e transferidos para a empresa terceirizada OZZ Saúde. Com isso, começaram os problemas dos motoristas das ambulâncias para receber o pagamento pelo serviço prestado.

Já no primeiro mês, houve atraso no pagamento do salário. Após atraso também no mês de maio, no entanto, o contrato foi reincidido e a remuneração ficou sob responsabilidade da Prefeitura de Salvador. A promessa era de que os funcionários seriam pagos entre 7 a 10 dias — o que não aconteceu.

“Estamos agora com 2 meses de atraso de salário da prefeitura. Hoje o Dr. Ivan Paiva [coordenador do SAMU em Salvador] deu uma entrevista e cita que está tudo resolvido. Mentira, não recebemos o salário”, afirma fonte ouvida pelo Metro1.

A esperança dos condutores era de que o salário fosse pago na última terça-feira (31), quando demais funcionários — enfermeiros, técnicos — receberam. No último dia 27, o Instituto Baiano para o Desenvolvimento da Saúde (IBDS) assumiu a licitação para do Samu. 

“A ideia é que o serviço pare totalmente. Tem colegas que estão com aluguéis e empréstimos atrasados. Colegas que estão com filhos passando dificuldade. É um tremendo absurdo, uma falta de respeito, principalmente da coordenação”, diz a pessoa que preferiu não se identificar.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.