ACM Neto critica segurança pública e diz ser “inacreditável o governador manter esse secretário”

Pré-candidato ao governo do estado repudiou fala do secretário Mandarino sobre maconha

A crise na segurança pública da Bahia foi alvo de duras críticas do ex-prefeito de Salvador e pré-candidato ao governo do estado, ACM Neto (União Brasil), nesta terça-feira (24). A principal reclamação foi sobre a permanência do secretário Ricardo Mandarino na chefia da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), mesmo após ele revelar ter amigos que dizem usar maconha “para dar uma relaxada”.

“É algo inacreditável, como também inacreditável o governador manter esse secretário à frente da pasta da Segurança Pública. O secretário que defende a legalização das drogas como caminho para resolver o problema da violência no Estado, e a gente viu na semana passada 400 delegados entregando os seus cargos em protesto ao Estado, policiais morrendo”, questionou.

ACM Neto se referiu à decisão coletiva dos delegados que deixaram cargos comissionados na última quarta (18). Em carta aberta, a associação que representa a categoria afirmou que o ato aconteceu em protesto ao “tratamento que vem recebendo do senhor governador Rui Costa, que com a sua absoluta intransigência se fecha para o diálogo aberto e franco com os servidores policiais civis deste estado”.

“Quer dizer, enquanto policiais estão morrendo, enquanto delegados estão entregando os seus cargos, está o secretário defendendo a legalização das drogas. É algo inacreditável, surreal. Infelizmente essa é a situação e a gente não entende porque que o governador não toma providências”, emendou ACM Neto.

O pré-candidato do União Brasil disse ainda que falta “reação” e “pulso” do governo no enfrentamento à violência no estado.

“Tudo bem, tá no fim do governo, mas pode fazer alguma coisa pra evitar que a situação seja essa que a gente tá vivendo. É um horror em Salvador, nas cidades do interior, a situação é a mesma, as pessoas estão com medo de andar na rua. E é claro, na hora que o bandido percebe que a polícia está sem apoio, na hora que o bandido percebe que o secretário de Segurança Pública não tá nem aí, tá com esse discurso mole de defender a legalização do uso das drogas, aí o bandido se acha no direito de fazer a festa. A verdade é essa, então tá faltando autoridade, reação, tá faltando energia, pulso, tá faltando o governador para enfrentar o problema”.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.