Com presença de Lula em Salvador, PT oficializa chapa liderada por Jerônimo Rodrigues e firma aliança com mais sete partidos

Principal liderança nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), o ex-presidente Lula desembarcou em Salvador nesta quinta-feira (31), para participar do evento considerado como lançamento oficial do nome do pré-candidato Jerônimo Rodrigues na disputa ao governo do estado.

O evento começou com mais de duas de atraso, por volta das 16h15, no Wet’n Wild, na avenida Paralela. Em seu discurso, Lula deixou claro que sua missão na Bahia era apresentar Jerônimo Rodrigues ao eleitorado. Para isso, usou elementos da história do candidato, como o fato de ter sido secretário de educação e ter nascido em Aiquara, cidade localizada no território de identidade do Médio Rio de Contas.

“Esse ato hoje é para vocês saírem daqui com confiança. Sei quem são nossos adversários, mas um cara que ainda não é conhecido do povo e consegue trazer tanta gente numa quinta-feira, podemos assegurar que será o próximo governador da Bahia. Seus adversários vão investigar até sua mãe para achar defeitos em você, mas mantenha a cabeça erguida e siga com esse povo”.

Outra estratégia valorizada pelo ex-presidente foi sinalizar que seu desejo de voltar à presidência da República passa pelo plano de retomar o fôlego de programas como Minha Casa, Minha Vida.

“Já governamos a Bahia há 16 anos. Temos o que mostrar. Os melhores momentos que esse país viveu desde que foi proclamada a República foi com o PT. E foi destruído. Não tem mais Minha Casa, Minha Vida. Não tem carteira assinada. Eles inventaram algumas reformas, mas era para destruir algumas conquistas. Se a gente perder as eleições, eles vão destruir em um ano o que foi feito em 16.

Na comitiva do ex-presidente, o primeiro a dar as boas-vindas ao público que lotou o local foi o ex-governador Jaques Wagner. Em seguida, foi a vez da deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman.

Gleisi lembrou o processo de escolha do candidato do partido na Bahia. Antes do nome de Jerônimo Rodrigues ser anunciado, Jaques Wagner era o nome cotado pelo partido, até ele desistir da disputa.

“Sempre tive absoluta certeza e confiança na condução das nossas lideranças. Não tememos que não teríamos a saída correta porque o PT baiano e os partidos que estão conosco têm muita experiências na política.”

A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, participou do evento — Foto: Eric Luis Carvalho / g1 Bahia

A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, participou do evento — Foto: Eric Luis Carvalho / g1 Bahia

O governador Rui Costa, em tom de campanha pelo nome de Jerônimo Rodrigues, aproveitou para lembrar que o candidato do PT tem chances de exercer um mandato com amplo apoio federal se Lula for eleito novamente para Presidência.

“Se fui chamado de Rui correria, ele será chamado de correria dobrada porque terá apoio desse que ama a Bahia, Luis Inácio Lula da Silva. O povo baiano, por onde passo, tem uma saudade enorme. O povo sonha todos os dias em te ver sentado novamente na cadeira de presidente da República”.

Em seguida, o pré-candidato Jerônimo Rodrigues deu o tom do que deve ser a campanha petista, que pretende nacionalizar o pleito estadual. “O lado de lá é o lado que esconde o presidente deles. O grupo do atraso, do ódio”, disse, na tentativa de ligar a candidatura de ACM Neto ao presidente Jair Bolsonaro.

PT lidera chapa com oito partidos

A presença de Lula na capital baiana serve também para reafirmar a aposta do PT na Bahia em outros dois nomes que integram a chapa para as eleições de outubro: Geraldo Júnior (MDB) como pré-candidato a vice-governador e Otto Alencar (PSD) como pré-candidato à reeleição para o Senado.

O atual cenário coloca o PT como protagonista na Bahia em uma chapa com mais sete siglas aliadas: PSD, MBD, PSB, PCdoB, PV, Avante e Patriota.

Ex-presidente Lula e os principais nomes da chapa encabeçada pelo PT na Bahia — Foto: Ricardo Stuckert

Ex-presidente Lula e os principais nomes da chapa encabeçada pelo PT na Bahia — Foto: Ricardo Stuckert

O evento estava marcado para começar às 14 horas. Até 15h25 o ex-presidente ainda não havia chegado no local. Por volta das 14h30, parte do público protestou para ter acesso.

As reclamações tiveram início após o locutor utilizar o serviço de som para explicar que a área das cadeiras estava com lotação máxima. Pessoas do lado de fora protestaram e o acesso foi liberado para um setor sem cadeiras.

Houve registro de aglomerações e a maioria das pessoas usava máscara.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.