Corpo de Maria Prestes, viúva do líder comunista Luís Carlos Prestes, será cremado no Rio neste domingo

O corpo de Maria Prestes, viúva do líder comunista Luís Carlos Prestes, será velado neste domingo (6), das 8h às 12h, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), no Centro do Rio, e cremado, às 15h, no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária da cidade. A informação foi confirmada pela neta, Ana, em rede social.

Maria Prestes morreu às 19h20 desta sexta-feira (4) no Rio, aos 92 anos.

“Partiu uma grande brasileira. Dona Maria Prestes, que também foi Maria do Carmo ou Altamira ou todos os nomes que precisasse usar para seguir lutando por liberdade, democracia e justiça social. Uma comunista orgulhosa de sua luta e a mais maravilhosa avó que alguém poderia ter”, postou Ana no dia da morte da avó.

Ana Prestes, neta de Maria Prestes, informou em rede social sobre o velório da avó. — Foto: Ana Prestes / Reprodução / Facebook

Ana Prestes, neta de Maria Prestes, informou em rede social sobre o velório da avó. — Foto: Ana Prestes / Reprodução / Facebook

Amiga de Maria Prestes há mais de uma década, Edna Calheiros, presidente do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres do Rio de Janeiro (Cedim-RJ) disse que a militante estava internada no Hospital Unimed da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, desde o início de janeiro, com sintomas gripais.

De acordo com a amiga, Maria estava vacinada contra a Covid.

“Estamos aqui vivendo uma grande perda de uma companheira, camarada, uma pessoa lutadora que a gente tem uma admiração enorme”, lamentou Edna.

Maria e Edna se conheceram em 2011 e, nas palavras da amiga, as duas se encontraram no movimento de mulheres.

“Ela tinha escrito o livro ‘Meu companheiro’, e a gente fez um projeto para fazer um trabalho de lançamento do livro, para ela falar com mulheres, jovens, e contar essa trajetória”, detalhou Edna.  

Além de “Meu companheiro”, outra obra de Maria foi “O sabor clandestino de Maria Prestes” — um conjunto de crônicas sobre a década de 1970, época em que ela e o marido viveram exilados em Moscou, na Rua Gorki.

Em nota, o PCdoB lamentou o falecimento de Maria:

“O Brasil perdeu uma lutadora, uma mulher corajosa, firme e decidida. É uma perda para sua família, para todos nós do PCdoB e para todos e todas que lutam contra as injustiças desse nosso país”.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.