Após homicídios em S. A. de Jesus, comando do 14º BPM reforça policiamento e prepara operação

Nesta segunda-feira (13) estiveram na Live do Voz da Bahia no programa Meio-Dia e Meia o Tenente-Coronel do 14.º BPM (Batalhão de Polícia Militar) de Santo Antônio de Jesus, Cesar de Sá Pacheco e a Major Ana Paula para falar a respeito dos 6 homicídios registrados no município só neste início do mês de dezembro.

Inicialmente, o Coronel Pacheco afirmou que na manhã de ontem, segunda-feira (13), houve uma reunião com o prefeito Genival Deolino e contou também com a presença do delegado titular delegado Dr. Felipe Ghiraldelli, além da delegada do DEAM (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher) e a Guarda Municipal, “nos reunimos com o intuito de combater essa onda que vem acontecendo na nossa cidade. Conseguimos 4 guarnições, desde sexta-feira, duas da Rondesp (Rondas Especiais) e duas CIPE litoral (Companhia Independente de Policiamento Especializado), reforço que estão varando as madrugadas desde sexta-feira (10) fazendo abordagens principalmente nas periferias. A população já percebeu o reforço que a Polícia Militar vem respondendo”, diz.

O comandante ainda ressalta que não há nenhum cidadão de bem envolvido nessas últimas mortes no município, “foram seis envolvidos e problemáticas de grupos de tráficos rivais, os dois que antecederam foram resistências a intervenção da Polícia Militar. Na verdade, nosso pessoal de inteligência levantou que já estava um grupo preparando para invadir outro local onde haveria mais homicídios, então nossas guarnições foram ao encalço e apreendemos uma metralhadora, encontramos duas pistolas, muitas munições, drogas e a partir daí, desses dois resistentes, um deles matador, estava disposto invadir outro local. Felizmente, não há nenhum cidadão de bem, pai de família, nenhuma pessoa envolvido ou tombado nesses últimos dias, todos eles são envolvidos com tráfico de drogas”, explica.

Durante entrevista, a Major Paula relata que auto de resistência não é contado como homicídio, “ali existe uma excludente de ilicitude, pois, é para garantir a legítima defesa de terceiros”, expôs. A Major conta que atualmente não existe um mandato de prisão em Santo Antônio de Jesus e afirma que isso vem através de muito trabalho no município.

A entrevistada destaca que a blitz no trânsito incomoda muitas pessoas, mas elucida que não apenas homens de bem passam pelo trânsito, mas também as que estão à margem da lei, “temos toda preocupação e todo cuidado para que essas fiscalizações aconteçam, sabemos que é um pouco chato, mas precisamos entender que é uma forma de cuidado, é uma forma de trabalho preventivo para quem mais tarde não venha acontecer algo pior”, concluiu.

fonte: Voz da Bahia

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.