Baianos enfrentam fila e celebram reencontro com Nossa Senhora da Conceição: ‘momento de esperança’

Após uma celebração em 2020 restrita ao interior da basílica, a imagem da Imaculada Nossa Senhora da Conceição voltou neste ano ao convívio do povo e na rua. Ainda que mantendo protocolos de segurança contra a Covid-19, o reencontro trouxe esperança para centenas de baianos que desde as primeiras horas da manhã seguiram em direção à Basílica da Conceição da Praia, na região do Comércio, em Salvador.

Por conta das restrições, o acesso ao interior da igreja foi restrito e era liberado por demanda. Muitos fiéis enfrentaram uma longa fila para acompanhar as missas na basílica.

“Enfrentei a fila, mas Nossa Senhora da Conceição merece muito mais. Enfrentamos muita dificuldade nessa pandemia e com muita fé estamos aqui para agradecer por chegarmos até aqui”, contou ao g1 a aposentada Ubalda Carvalho, de 67 anos.

Aposentada Ubalda Carvalho, de 67 anos, durante celebração do Dia de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Aposentada Ubalda Carvalho, de 67 anos, durante celebração do Dia de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Para muitos devotos, o reencontro com Nossa Senhora da Conceição representou também um momento de esperança em dias melhores.

“Hoje eu completo 71 anos e desde que me entendo por gente nunca deixei de vir agradecer a minha mãe Nossa Senhora da Conceição. É importante que a gente siga com todos os cuidados, sem se aglomerar, usando máscara, nosso álcool na mão. Mas eu não deixo de vir agradecer e pedir por todos os meus irmãos e familiares. Ver nossa Senhora do lado de fora com o povo é um momento de esperança diante de tudo que estamos vivendo”, contou a aniversariante do dia, Neide dos Santos, de 71 anos.

Neide  dos Santos, de 71 anos, faz aniversário no Dia de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Neide dos Santos, de 71 anos, faz aniversário no Dia de Nossa Senhora da Conceição — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

O sentimento era o mesmo para Maria do Rosário de 75 anos, que trouxe as netas Maria Eduarda de oito e Evelin de 11. “Estar aqui dá esperança. Eu nasci em uma sexta-feira da Paixão em 1946 e todo ano estou agradecendo a ela. Vivemos um tempo muito difícil com essa pandemia, que levou tanta gente de uma hora para outra. Eu passei 20 dias muitos difíceis com essa doença e foi em Nossa Senhora da Conceição que eu me apeguei para triunfar” contou a devota.

Maria do Rosário, de 75 anos, e as netas Maria Eduarda, de oito, e Evelin, de 11 — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Maria do Rosário, de 75 anos, e as netas Maria Eduarda, de oito, e Evelin, de 11 — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Para a professora de história Conceição Bacelar, que já carrega no nome a homenagem a Santa do dia, ver as pessoas de volta às ruas é algo simbólico para o povo da Bahia.

“Eu herdei essa fé de minha mãe. Me chamo Conceição fui batizada nessa igreja, sou da pastoral afro e sei o quanto esse reencontro traz esperança e é representativo para todos nós baianos. Hoje é um dia especial”, disse.

Conceição Bacelar já carrega no nome a homenagem a Santa do dia — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Conceição Bacelar já carrega no nome a homenagem a Santa do dia — Foto: Eric Luis Carvalho/g1 BA

Por volta das 10h30, algumas pessoas que estavam na fila aproveitaram um momento de distração dos organizadores e entraram sem autorização na igreja. Pouco tempo depois, um mulher se sentiu mal e foi socorrida por populares e agentes da Guarda Civil Municipal.

A missa solene teve início pouco antes das 10h e é presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Cardeal Dom Sérgio da Rocha. Após esta celebração, a imagem da Imaculada Conceição seguirá em carreata pelas ruas da Cidade Baixa, antes de retornar para a basílica da Conceição da Praia.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.