Atlético vence RB Bragantino por 4 a 3 e levanta a taça do Brasileirão

O clima era de festa para todos os torcedores, porém os jogadores encararam a partida com muita seriedade e proporcionaram uma grande vitória para o Atlético. Em um jogo maluco, o qual contou com duas viradas, o Galo fez vários gols e venceu por 4 a 3, alcançando a 16ª vitória seguida no Mineirão no Brasileirão, recorde absoluto da competição. Como diria o funk cantado por Guga que viralizou nos últimos dias, “ai credo, o Galão ganhou mais uma vez”!

E o clima de vitória tomou conta do gramado logo após a partida, visto que este foi o tão esperado “jogo da taça”. Levado por Dadá Maravilha, o artilheiro da conquista de 1971, o troféu do Campeonato Brasileiro de 2021 foi erguido por AlonsoRéver – os dois capitães -, Belmiro – massagista que está no Atlético desde 1968 – e Reinaldo – maior artilheiro da história alvinegra e atleta que, injustamente, não conquistou o Brasileirão. Um dia histórico para o Clube Atlético Mineiro!

Neste domingo, 05 de dezembro de 2021, o Atlético venceu o Red Bull Bragantino por 4 a 3 graças aos gols de Hulk, Keno, Savarino e Zaracho – Artur (duas vezes) e Ytalo marcaram para o Massa Bruta. A partida da entrega da taça ao Galo foi válida pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Atlético se isolou com a segunda melhor campanha da história dos pontos corridos de 20 times. A equipe alcançou o 84º ponto e a 26ª vitória em 37 jogos, tendo assim um incrível aproveitamento superior a 75%. Já o Red Bull Bragantino ficou na sexta colocação e ainda não carimbou a classificação para a Copa Libertadores da América de 2022.

O jogo e as atuações individuais

O torcedor atleticano se lembrará, para sempre, destas partidas do início de dezembro de 2021. As vitórias sobre Bahia e Red Bull Bragantino foram marcantes por serem, respectivamente, a partida que decretou o título e o jogo que a taça foi levantada. Datas marcantes que entraram na história do Clube Atlético Mineiro, campeão do Brasileirão de 2021.

Dentro de campo, nesta partida frente ao Massa Bruta, o Atlético fez um grande jogo, mesmo com algumas falhas defensivas. O time sofreu três gols pela primeira vez na temporada, mas mostrou o seu grande repertório ofensivo para marcar quatro vezes e vencer o jogo do título. O confronto maluco e muito animado terminou em um triunfo alvinegro, premiando os 61.573 torcedores que estiveram no Mineirão – este é o novo recorde do estádio após a reforma, quebrando a marca de 61.476 atleticanos que estiveram no estádio frente ao Juventude.

O grande destaque da partida foi o lado esquerdo alvinegro. Guilherme Arana e Keno incendiaram o jogo e três dos quatro gols contaram com a esquerda como origem. O atacante alvinegro, autor de dois gols frente ao Bahia, marcou o primeiro tento nesta tarde, deu assistência para Zaracho fazer e iniciou a jogada do gol de Savarino. Keno está em ótima fase e o Atlético sabe da sua importância nas partidas decisivas da Copa do Brasil nos próximos dias 12 e 15 de dezembro frente ao Athletico-PR.

Atlético x Red Bull Bragantino

O Galo se consagrou campeão do Brasileirão no meio de semana e entrou em campo contra o Red Bull Bragantino sem grandes responsabilidades. Porém, mesmo assim o Atlético colocou força máxima em campo. As únicas ausências foram: Allan e Hulk no banco, e Nacho Fernández e Vargas sequer relacionados. Por isso, o Atlético entrou em campo com Everson; Mariano, Nathan Silva, Alonso e Arana; Tchê Tchê, Jair, Nathan e Zaracho; Keno e Diego Costa.

O primeiro tempo

Em clima de festa, o Atlético até começou bem a partida, mas não teve um grande ímpeto ofensivo e chegou poucas vezes com perigo na primeira etapa. Aos 7, Keno cruzou e Diego Costa tentou finalizar, mas chutou com a canela depois de boa marcação da defesa do Massa Bruta. No minuto 18, Diego Costa ajeitou para Arana e o lateral chutou com a perna direita, facilitando a defesa do goleiro Cleiton.

No entanto, dois minutos depois, Cleiton, cria da base do Galo, não conseguiu fazer a defesa e o clube mineiro abriu o placar. Aos 20, Keno roubou a bola antes da linha de meio-campo, acelerou pelo meio, viu Diego Costa passar pela esquerda e, mesmo assim, optou pelo chute de fora da área. A batida do camisa 11 não teve muita força, mas Keno colocou a bola no canto direito de Cleiton que chegou atrasado. Mais um tento do ponta e 1 a 0 para o Galo no Mineirão.

Já o Red Bull Bragantino havia chegado algumas vezes até sofrer o gol, mas conseguiu balançar as redes do adversário apenas no fim da primeira etapa. No minuto 6, Jadsom cruzou, a bola desviou em Nathan Silva e foi na direção do gol, obrigando Everson a fazer a defesa em dois tempos. Aos 16, Ytalo finalizou de fora da área e o goleiro atleticano encaixou. Já aos 29, Helinho chutou de longe e a finalização não teve a direção correta do gol.

A equipe paulista seguiu em cima. Aos 35, Emiliano Martínez arriscou de fora, Ytalo desviou e Everson fez a defesa. Dois minutos depois, Luan Cândido cobrou muito bem uma falta frontal e a bola explodiu no travessão. Porém, no minuto 38, Cuello fez um ótimo passe para Artur dentro da área e o camisa 7 bateu forte. Everson fez a defesa com o pé, mas o rebote ficou apenas para Ytalo empurrar para as redes e o Red Bull Bragantino empatou a partida: 1 a 1 no placar de um primeiro tempo bem animado.

O segundo tempo

Dois gols rápidos e a lesão do bandeirinha

Já no intervalo, Cuca tirou Jair e Nathan para colocar Allan e Savarino, contudo foi o Red Bull Bragantino que chegou com perigo rapidamente e abriu o placar. Logo no primeiro minuto, em escanteio cobrado pela esquerda, Artur estava livre e pegou a bola de primeira, com a canhota, marcando um belo gol. O chute foi muito forte e Everson nada pôde fazer: 2 a 1 para o clube paulista dentro do Mineirão.

O RB Bragantino chegou no minuto seguinte com Helinho, mas a bola foi para fora. Depois disso, praticamente apenas o Atlético chegou com perigo. Aos 6, Keno fez boa jogada individual pela esquerda, entrou na área e rolou para Zaracho. O argentino estava muito bem posicionado e chutou forte para empatar a partida: gol de Zaracho e 2 a 2 no placar do Mineirão.

O Galo seguiu em cima e chegou com Allan aos 11, quando o volante acertou a trave esquerda de Cleiton. Cuca aproveitou para fazer duas mudanças: Diego Costa e Tchê Tchê saíram para as entradas de Hulk e Franco. Logo após estas mudanças, o auxiliar sentiu uma lesão e a substituição de bandeirinhas paralisou o jogo por quase dez minutos.

A virada atleticana e a vitória maluca

Depois desta substituição inusitada na arbitragem, o Atlético conseguiu dar sequência ao bom momento e virou a partida aos 32. Keno começou a jogada, tocou para Hulk e o artilheiro deu um lindo toque de letra para Zaracho. O argentino dominou dentro da área, bateu cruzado e Savarino completou de cabeça para o fundo das redes: 3 a 2 para o Galo.

No minuto 42, Savarino lançou Hulk e o artilheiro dividiu com Natan. Com um pouco de sorte, o camisa 7 ficou com a bola, percorreu todo o campo e chegou frente a frente com Cleiton. Hulk mostrou toda a sua qualidade e frieza para dar uma linda cavadinha e marcar o seu 19º gol no Brasileirão. Mais um gol atleticano e 4 a 2 no placar do Gigante da Pampulha.

Já nos acréscimos, o Red Bull Bragantino chegou com perigo. Aos 52, Alerrandro chutou de fora da área e Everson realizou uma linda defesa. Porém, dois minutos depois, o chute de Artur balançou as redes atleticanas novamente. Em jogada pela esquerda, Tubarão finalizou e Everson defendeu. No entanto, no rebote, Artur bateu com a perna esquerda, encerrando um jogo maluco com um 4 a 3 no placar. É, o Galo ganhou mais uma vez!

O Atlético volta a campo na próxima quinta-feira, 09, às 21:30, contra o Grêmio, no RS.

Post Author: Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.