Em clima junino, debate fomenta as culturas do Recôncavo

Projeto reúne agentes culturais e estudiosos nos dias 15 e 16 de junho para fomentar a produção cultural do Território

Neste mês de junho, quando tradicionalmente as atenções culturais se voltam para as práticas e rotinas do interior, o Instituto Popular do Recôncavo (IPR) realiza o Culturas do Recôncavo, nos dias 15 e 16 de junho, 20h. O projeto promove o debate de agentes culturais e estudiosos sobre a sustentabilidade do Território Baiano, entendendo-a como estruturante do desenvolvimento local. 

As duas noites de evento serão transmitidas ao vivo, no youtube do IPR – Instituto Popular do Recôncavo, que fortalece expressões artísticas locais, a partir do cuidado dos bens simbólicos e materiais, assim como, promove reflexão sobre as influências que formam a diversidade cultural do Território. Neste sentido, a Doutora em Antropologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Fátima Tavares e o Doutor em Solos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e professor titular da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB), Paulo Gabriel são os convidados da primeira mesa As Diversas Culturas do Recôncavo. Eles conversarão sobre as referências nos costumes gastronômicos, religiosos e festivos. 

Já a segunda noite tem o tema Culturas do Recôncavo e o Turismo e debate sobre as vivências de gestores culturais que entendem a importância do fortalecimento das narrativas locais. O diretor do Centro de Culturas Populares e Identitárias da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (CCPI), André Reis e a jornalista, produtora de eventos e Quilombola do Koange, Andreza Viana debaterão sobre a visibilidade da cultura popular do Território, permitindo um olhar enaltecedor sobre as experiências turísticas do Recôncavo. Ambas as mesas serão mediadas pela Doutora em Antropologia (UFBA), Cleidiana Ramos.

Culturas do Recôncavo conta com o patrocínio do Governo do Estado da Bahia e marca mais uma ação do IPR no Recôncavo Baiano, de forma sustentável e com o objetivo de gerar o desenvolvimento da região. Segundo Luan Peres, presidente do Instituto, a discussão sobre um tema tão amplo e muitas vezes de difícil entendimento, precisa ser promovida para o processo de renovação e  fortalecimento da identidade local. Luan ainda complementa que “o projeto Culturas do Recôncavo refere-se à expressões artísticas, que buscam manter seus saberes, suas diversas formas de viver e se relacionar com o seu ambiente social, político e econômico”.

Sobre o Recôncavo Baiano – Formado por 20 municípios baianos: Cabaceiras do Paraguaçu, Cachoeira, Castro Alves, Conceição do Almeida, Cruz das Almas, Dom Macedo Costa, Governador Mangabeira, Maragogipe, Muniz Ferreira, Muritiba, Nazaré, Santo Amaro, Santo Antônio de Jesus, São Felipe, São Félix, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passe, Sapeaçu, Saubara e Varzedo, o Território é localizado na região da Baía de Todos os Santos.

O Recôncavo é considerado privilegiado por ser rico culturalmente. O Território também é o berço do samba de Roda e carrega consigo uma forte herança africana, presente na música, dança, religiosidade e culinária. No Recôncavo da Bahia há também a tradição familiar de produzir licores de frutas, relacionada diretamente com os festejos juninos.

fonte: Italo Pacheco

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *