Professores municipais decidem não voltar às aulas presenciais na segunda em Salvador

Os professores da rede municipal de ensino de Salvador decidiram que não vão retomar às aulas de forma presencial na próxima segunda-feira (3), sem vacinação completa da categoria. A decisão foi tomada durante uma reunião feita nesta terça-feira (27), com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) e contou com dois mil professores da rede municipal .

“Nós não aceitamos de jeito nenhum, atividade presencial. Nos dias 3, 4 e 5, queremos a revogação do decreto, e só com atividades remotas. Vamos trabalhar só de forma remota, ninguém vai para sala de aula”, disse o coordenador-geral da APLB, Rui Oliveira.

prefeito da capital baiana, Bruno Reis, anunciou a retomada das aulas de forma semipresencial, na última sexta-feira (23). O objetivo da prefeitura é que haja um escalonamento dos estudantes e por aula, apenas 50% de uma turma poderá estar na sala. As aulas serão escalonadas no entanto, os alunos voltarão a ter contato com os professores e demais funcionários das escolas.

Apesar do início da vacinação contra a Covid-19 nos trabalhadores da Educação Básica, a partir de 40 anos, o coordenador-geral da APLB, destaca que antes de qualquer retomada das atividades é preciso que toda a categoria esteja vacinada.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

“Queremos vacina para todos. Já morreram 140 profissionais da educação na Bahia. Em Salvador, nos últimos 20 dias, morreram quatro diretores de escola”, relata Rui Oliveira.

A Secretaria de Comunicação da prefeitura de Salvador informou que Bruno Reis vai se reunir novamente com a APLB na quarta-feira (28) para reforçar o apelo feito à categoria, para que voltem às salas de aula no dia 3 de maio.

A pasta informou também que prefeitura a vacina está disponível para mais de 10 mil trabalhadores da educação acima de 40 anos, e que mais 75% dos profissionais que atuam nas escolas terão tomado a primeira dose contra a Covid-19 até o início das aulas presenciais.

Já o Sindicato dos Professores do Estado da Bahia (Sinpro-BA), que representa os professores da rede privada, informou que vai reunir a categoria na quarta-feira (27), para decidir se haverá retorno das aulas presenciais.

“O Sinpro-BA já tornou pública sua posição de ser contrária ao retorno das aulas presenciais ou semipresenciais nas escola de Salvador ou em qualquer outro lugar da Bahia, nesse momento que apenas iniciamos processo de vacinação da categoria docente”, disse o coordenador-geral da Sinpro-Ba, Allyson Mustafá.

Retorno das aulas presenciais: o que pode?

  • As escolas municipais estão liberadas para voltar no dia 3 de maio
  • Escolares particulares com ensino infantil, fundamental e médio estão liberadas para voltar no dia 3 de maio
  • Faculdades particulares e cursos livres estão liberadas desde 3 de novembro de 2020.
  • Faculdades com ensino técnico podem retomar as atividades presenciais

Protocolos de abertura

Os protocolos estão elencados no Decreto nº 33.812 de 24 de abril de 2021. Clique aqui e confira. Além do uso de máscaras e constante higienização, entre as medidas, algumas delas são:

  • As áreas comuns (corredores, elevadores, banheiros, maçanetas, corrimões, relógio de ponto, portas, pisos, bibliotecas, laboratórios, parques, estacionamentos, salas de aula, salas administrativas, dentreoutras) devem ser higienizadas diariamente, ao menos duas vezes por turno, de forma regular para garantir a segurança das pessoas;
  • Deverá ser mantido o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas;
  • A utilização dos elevadores deverá ser evitada, a não ser no deslocamento de materiais/produtos, e nos casos de alunos e funcionários com dificuldades de locomoção;
  • Os botões externos e internos dos elevadores devem ser isolados com capa plástica ou filme de PVC, que deve ser higienizado regularmente a fim de garantir a segurança de seus usuários;
  • Os elevadores deverão ser utilizados observado 30% de sua capacidade máxima e com marcação no piso determinando o local onde as pessoas deverão permanecer;
  • Deverão ser disponibilizados dispensadores de álcool gel 70% no interior dos elevadores e/ou ao lado das portas de acesso;
  • As plataformas elevatórias devem ser utilizadas no máximo pelo usuário e seu acompanhante;
  • Deverão ser disponibilizados dispensadores de álcool gel 70% em quantidade compatível à estrutura e número de circulantes na instituição de ensino.

fonte: G1

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *