Vitória domina 1º tempo, mas desaba e conta com a sorte na 2ª etapa

A sequência de eliminações na Copa do Nordeste e Campeonato Baiano elevaram as expectativas em cima da estreia do Vitória na Série B. Afinal, o Rubro-Negro teve duas semanas sem jogos para corrigir erros e iniciar a Segunda Divisão com uma amostra de que pode sonhar com o acesso ao fim da temporada. Porém, o triunfo pelo placar de 1 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, na noite do último sábado, não inspirou confiança, já que mostrou uma equipe sem consistência.

Bruno Pivetti escalou o Vitória com Ronaldo; Jonathan Bocão, João Victor, Gabriel Furtado e Thiago Carleto, Guilherme Rend, Fernando Neto e Marcelinho; Alisson Farias, Vico e Jordy. A presença de dois meias de ofício à frente de um volante qualificou a troca de passes da equipe, que conseguiu envolver o adversário na primeira etapa. Na base de triangulações e muita movimentação, o Vitória criou chances, conseguiu uma penalidade, convertida por Thiago Carleto, e, com a vantagem no placar, controlou o ritmo de jogo até o intervalo. O problema é o que ocorreu durante todo o segundo tempo.

O técnico Léo Condé percebeu uma maior fragilidade no lado esquerdo da defesa do Vitória e colocou o atacante Gustavo Ramos para atuar nas costas de Thiago Carleto. A estratégia fez o lateral ter menos liberdade para se lançar ao ataque e também expôs a falta de velocidade para acompanhar as jogadas e evitar cruzamentos.

Pela esquerda da defesa do Vitória, Joazi e Gustavo Ramos conseguiram chegar na linha de fundo e cruzar para atacantes em boas condições de finalizar. A sorte do Vitória foi que os atacantes do Sampaio Corrêa esbarraram na boa atuação do goleiro Ronaldo. Muito seguro, ele fez defesas difíceis e foi decisivo para o Rubro-Negro conquistar três pontos.

Ronaldo foi decisivo para a defesa rubro-negra não sair de campo como a vilã de um resultado negativo. Por mais de uma vez, os zagueiros tentaram sair com troca de passes e entregaram a bola de presente para o ataque adversário.

Além de Ronaldo, Marcelinho teve uma estreia animadora. Contratado recentemente, o meia qualificou a troca de passes da equipe e mostrou criatividade para encontrar espaços. Ele deu passe em profundidade para Jordy Caicedo disputar com o zagueiro e sofrer o pênalti que resultou no gol do time baiano.

Enquanto Marcelinho e Ronaldo saíram de campo com atuações elogiosas, Jordy Caicedo e Guilherme Rend surgem como alvos de críticas. O atacante mais uma vez mostrou que ainda precisa de refinamento técnico. A bola costuma queimar nos pés do equatoriano, que muitas vezes tem dificuldades para dar sequência nas jogadas. Já o volante, que se destacou no início da temporada, caiu de nível de atuação e não conseguiu ser eficiente na marcação.

Na segunda etapa, Rend fez uma falta na lateral, com o atacante de costas para o gol. O lance gerou uma sonora bronca de Bruno Pivetti.

Embora a atuação não tenha sido consistente, o Vitória somou três pontos, o que é importante para um time que, muitas vezes, teve atuações parecidas e saiu de campo derrotado na Série B de 2019. O resultado é vital também para que o time ganhe confiança, uma vez que foi o primeiro triunfo do Rubro-Negro sob comando de Bruno Pivetti.

O Vitória voltará a jogar na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília). O adversário será o Figueirense, que foi derrotado pelo Operário na estreia da Série B. A partida será realizada no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Fonte: GE

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *