Estudantes realizam protesto na frente da Uneb um dia após assembleia de professores

Estudantes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) realizaram uma manifestação na frente da instituição de ensino, em Salvador, na manhã desta sexta-feira (5).

O ato ocorreu um dia depois de os professores aprovarem, em assembleia, greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira (8).

Na quinta, os docentes que ocupavam o prédio onde funciona a reitoria da instituição, no bairro do Cabula, com apoio dos estudantes, também decidiram liberar o imóvel, onde estavam desde quarta (3) — o apoio dos alunos ao movimento foi decidido em assembleia estudantil.

Professores de outras instituições estaduais de ensino, como a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), também decidiram paralisar as atividades a partir da próxima semana, em assembleias também realizadas na quinta.

Os docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) também se reuniram, mas decidiram manter as atividades.

Em nota, o governo do estado informou que foi surpreendido pela paralisação. De acordo com o comunicado, uma reunião havia sido realizada com integrantes do Fórum das Associações Docentes das Universidades Estaduais Baianas (ADs), um dia antes do anúncio. No encontro, de acordo com a nota, foi marcado o compromisso do governo com diálogo e definição conjunta de uma nova agenda para a segunda-feira (8).

Reivindicações dos professores:
Destinação de, no mínimo, 7% da Receita Líquida de Impostos (RLI) do Estado da Bahia para o orçamento anual das universidades estaduais. Atualmente, esse índice é de aproximadamente 5%, segundo categoria;
Reposição integral da inflação do período de 2015 a 2017, em uma única parcela, com índice igual ou superior ao IPCA;
Reajuste de 5,5% ao ano no salário base dos docentes para garantir a política de recuperação salarial, referente aos anos de 2015, 2016 e 2017;
Cumprimento dos direitos trabalhistas, a exemplo das promoções na carreira, progressões e mudança de regime de trabalho. Atualmente, conforme categoria, só na Uneb, mais de 400 professores possuem seus direitos à promoção negados pelo Estado;
Ampliação e desvinculação de vaga/classe do quadro de cargos de provimento permanente do Magistério Público das Universidades do Estado da Bahia.

Reivindicações dos alunos:
Exigência do programa acompanhamento de saúde mental dos estudantes
Exigência do repasse integral dos recursos da Uneb
Restaurante Universitário já
Continuar atendimento comunitário pelo DCV
Segurança patrimonial e do campus com iluminação pública e recontratação dos seguranças demitidos
Transparência e prestação de contas.
Exigir política efetiva de permanência e Assistência Estudantil.
Reabertura imediata do Edital do Programa Mais Futuro, com pagamento de bolsas no período de férias.
Melhoria da acessibilidade no campus.
Abertura de concurso público para contratação de professores e técnicos
Construção da creche do campus I

fonte: G1

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *