Vitória e Jacuipense empatam no Barradão

Em noite de futebol sonolento, a arbitragem chamou mais atenção no Barradão nesta quinta-feira, no empate em 1 a 1 entre Vitória e Jacuipense, válido pela terceira rodada do Campeonato Baiano. Pouco inspiradas, as equipes erraram em demasia e sofreram para criar chances de gols. O Leão do Sisal começou melhor, abriu o placar logo aos cinco minutos de jogo, com Marcelo Nicácio, mas parou aí. Aos trancos e barrancos, o Vitória conseguiu o seu empate com Nickson, em pênalti mal marcado pelo árbitro. Os visitantes ainda reclamam de um gol anulado de Nicácio no segundo tempo. A partida ainda foi pegada e teve oito cartões amarelos.

Foi um primeiro tempo de pouco futebol, dois gols e polêmica. Logo aos cinco minutos, o Jacuipense abriu o placar após Marcelo Nicácio aproveitar cruzamento de Paulinho e marcar. Com a equipe visitante vencendo e fechada no seu campo, o Vitória teve dificuldade para criar, abusou dos cruzamentos e pouco ofereceu de perigo. Do outro lado, o Leão do Sisal também não assustava nos contra-ataques e teve melhor chance em chute de fora da área de Mayron. Só que aos 35 minutos, o Vitória descolou um pênalti em jogada de Nickson e que, segundo o comentarista de arbitragem Paulo César de Oliveira, foi mal marcado. O meia do Leão não tinha nada com isso e acabou empatando o jogo em cobrança perfeita.

A etapa final seguiu o roteiro do primeiro tempo, com o Vitória com mais posse de bola, mas sem criatividade. Por isso, o técnico Marcelo Chamusca mudou a equipe alternativa colocando os titulares Léo Ceará, Andrigo e Yago para mudar o panorama da partida. O Jacuipense, por outro lado, foi mais perigoso nas descidas ao ataque. Aos 27 minutos, a equipe visitante reclamou de gol de Marcelo Nicácio anulado pelo árbitro. Thiaguinho também quase marcou ao invadir a área e chutar forte, mas Caíque defendeu. A melhor chance dos mandantes esteve nos pés de Andrigo, que arriscou chute de longe no final da partida.

Aos 35 minutos do primeiro tempo, o árbitro Reinaldo Silva de Santana marcou pênalti do zagueiro Lídio em Nickson. Segundo o comentarista de arbitragem Paulo César de Oliveira, não houve falta e o lance foi fora da área. Na etapa final, Marco Nicácio balançou as redes ao aproveitar contra-ataque, mas o lance foi anulado pelo assistente, que marcou impedimento duvidoso.

O atacante Léo Ceará também reclamou da arbitragem em dois lances. Em um deles, quando estava saindo na cara do gol, pediu falta do goleiro Marcelo, fora da área. Depois, queria pênalti de Railon ao invadir a área. O árbitro mandou o jogo seguir.

O técnico Marcelo Chamusca poupou quase todos os seus titulares no jogo desta noite. Depois de jogar no final de semana e com um Ba-Vi marcado para o próximo domingo, o treinador decidiu mandar a campo os jogadores me melhor condição física. Chance para atletas como Bruno Bispo, Ramon, Cáique, Léo Gomes, Eron e Nickson, por exemplo, aproveitares os minutos em campo. Deste grupo, melhor para o último deles, que marcou de pênalti o seu terceiro gol na temporada e se isolar como artilheiro do Vitória.

Com o empate, o Vitória foi a sete pontos e se manteve na segunda posição na tabela de classificação do Baianão, a dois pontos do Bahia de Feira, líder da competição. Após perder os dois primeiros jogos, o Jacuipense somou o seu primeiro ponto e é o penúltimo colocado.

PRÓXIMOS JOGOS
O Vitória volta a campo no próximo domingo, em clássico contra o Bahia, na Arena Fonte Nova. O jogo está marcado para as 17h (de Salvador). Já o Jacuipense entra em campo na próxima quarta-feira, quando enfrenta o Vitória da Conquista, no Valfredão, às 20h30.

fonte: G1

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *