VAR anula dois gols do Bahia, e Atlético-PR vence na Fonte Nova

90 MINUTOS… E HAJA POLÊMICA!
Pressão do time mandante, dois gols anulados pela arbitragem e Atlético-PR sorrateiro. Que jogo na Arena Fonte Nova, meus amigos! Com o apoio da torcida, o Tricolor foi para cima do Furacão do começo ao fim, mas saiu da Fonte com o resultado indesejado. A equipe comandada por Enderson Moreira até balançou as redes de Santos por duas vezes, mas viu a arbitragem anular os dois gols de maneira polêmica. O Rubro-Negro, por sua vez, foi frio e calculista. Pablo, aos 21 jogou um balde de água fria no Bahia com um golaço. Até o apito final, apenas um Bahia nervoso dominado pelos toques do Atlético-PR.

PRIMEIRO TEMPO
Empurrado pela torcida, o Bahia tratou de pressionar o Atlético-PR nos primeiros 45 minutos de partida; uma pressão um pouco desajeitada no começo, sem oferecer tanto perigo ao goleiro Santos. Mas sabe o ditado “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”? Foi exatamente assim. Aos 22 minutos, Clayton marcou um golaço de voleio, só que a alegria durou pouco: após consulta ao VAR, a arbitragem anulou o gol. O Bahia seguiu criando chances, mas não balançou as redes. O Furacão, um pouco tímido, criou uma única boa chance já nos minutos finais, com Lucho, para defesa de Douglas.

SEGUNDO TEMPO
O Bahia continuou com sede de gol na segunda etapa, e, logo no primeiro minuto, Ramires empurrou a bola para o fundo das redes. No entanto, a arbitragem voltou a roubar a cena na Fonte Nova: após conversa com o bandeirinha, Fernando Rapallini anulou o gol do Tricolor. Valente, o Bahia seguiu na tentativa de abrir o placar, mas esbarrou nas boas defesas de Santos. O Furacão, que não tinha nada a ver com a história, aproveitou um contra-ataque e tirou o zero do placar com Pablo, aos 21 minutos. O gol do visitante foi um balde de água fria para os 23 mil torcedores presentes na Fonte Nova. Ao Atlético-PR, coube administrar o placar até o apito final.

PEDIU O VAR E ANULOU – DUAS VEZES
Aos 22 do primeiro tempo, o torcedor do Bahia soltou o grito: de voleio, Clayton mandou para o fundo da rede depois de um bate-rebate na área do Atlético-PR. Mas o jogador levantou demais a perna, numa disputa perigosa, e quase acertou a cabeça de Nikão. O árbitro argentino Fernando Rapallini chegou a validar o gol, mas pediu o VAR. No tira-teima, decidiu por anular o tento e marcar falta a favor da equipe paranaense. Eis que, no primeiro minuto da segunda etapa, Ramires mandou para o fundo da rede. Depois da comemoração, o juiz anulou o gol e assinalou impedimento do meia do Bahia.

DEU AQUELE JEITINHO
Motivo de polêmica antes da partida, o gramado da Arena Fonte Nova seguiu recebendo ajustes nesta noite. Antes de a bola rolar e durante o intervalo, os funcionários do estádio precisaram fazer pequenos retoques no campo.

PRÓXIMOS JOGOS
O jogo de volta entre rubro-negros e tricolores será realizado na próxima quarta-feira, na Arena da Baixada, às 21h45 (de Brasília). Aquele que avançar às semi enfrenta Fluminense ou Nacional-URU, equipes que empataram em 1 a 1, no Nilton Santos, nesta noite.

fonte: G1

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *