MAIS LUZ, POR FAVOR.

A maioria do povo brasileiro, gostando ou não da religião ou do comportamento esquisito do sr. Jair Bolsonaro, votou nele, pois acreditou que seria um caminho mais seguro de impedir que os eternos sonhadores socialistas, os necessitados e os espertinhos de sempre elegessem os insaciáveis, pois enxergou de imediato que se assim o fosse, breve o povo brasileiro estaria mergulhado num país com um sistema ditatorial, travestido de ações sociais caridosas, afinal, ideia de liberdade de direitos jamais escraviza ideologicamente, ocupando definitivamente o lugar sagrado dos reais direitos humanos, transformando pessoas em sombras de si mesmas, máquinas repetidoras de falácias mofadas e falidas mundo à fora, zumbis sociais, escravos emocionais.
Portanto, penso que o bom senso venceu esta duríssima batalha e ao invés de ficarmos compartilhando ofensas e mostrando abusos verborreicos contra os perdedores, numa insana necessidade de retrucar a estupidez humana, dando luz às trevas, ignoremos através da divulgação das ações que a mídia fraudulenta esconde e que o próprio presidente e sua equipe, pouco divulgam.
É preciso que não esqueçamos que trocar um presidente inadequado será sempre menos doído que reconstruir uma nação.
A mais eficiente forma de resistência ao mal é estarmos sempre prontos e convictos para defender com argumentos sólidos, assim como a nossa mais indignada reprovação a toda e qualquer atitude dos servidores públicos de qualquer natureza que forem contra os interesses comuns, onde direitos e deveres estejam prevaricando, acima do logro das belas e bem articuladas palavras, que possam afrontar o bom senso e a segurança do povo como um todo.
Resistir à tentação de retrucar aos constantes ataques, evitando assim, adentrarmos no jogo primário e arcaico da troca de ofensas, pois dar luz às trevas é tudo quanto o Diabo deseja.
E antes que pensem que minhas palavras são uma devoção de direita extremista, carregada de todas as rotulagens contemporâneas, peço humildemente que leiam, analisem e compreendam que, para mim, tudo que mais importa é o bendito direito de pensar por mim mesma, utilizando-me das amostragens que os sistema e a vida em sua completude me oferecem a cada instante.

Façamos o nosso melhor como cidadãos, acreditando seriamente que somos uma importante célula deste corpo fantasticamente rico e belo que é o nosso BRASIL, e que o nosso bom desempenho no corpo ainda saudável desta pátria é tudo de valioso que podemos e devemos oferecer, pois, a ela, amamos mais que a qualquer ideologia ou pessoa, e este amor, será sempre determinante para que o caos jamais se instale.
A luminosidade do sol, jamais precisou das trevas para expandir sua luz.
OBS: Não podemos impedir que as trevas, através das mídias e das redes sociais continuem fervorosamente dividindo o país em regiões, crenças, gênero, cor e almas, mas com certeza podemos com firmeza de atitudes, não compartilhar, não denegrir comentando, tão somente, divulgando as conquistas que a nossa determinação alcançou nas eleições de 2018, quando, como células livres e não contaminadas, impedimos um ainda maior desenvolvimento da doença que corroía de forma silenciosa e oculta a nossa soberania.
Um domingo de luz para todos nós.

Regina Carvalho, carioca, professora,
publicitária, filósofa social e colunista,
membro da Academia de Letras do Recôncavo.
Natural do Rio de Janeiro. 39 anos da vida dedicados
a escrever em jornais de Minas, Brasília e Bahia.
Locutora e diretora da Rádio Tupinambá, FM – Itaparica
e editora do Jornal Variedades – Itaparica – BA.

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *