Atividades comemoram passagem do Dia Internacional da Pessoa Idosa

Em comemoração ao Dia Internacional da Pessoa Idosa, celebrado no dia 1º de outubro, um ato foi promovido pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e o Conselho Estadual da Pessoa Idosa, na manhã desta quarta-feira (2), no Largo Quincas Berro D’água, no Pelourinho. O evento teve a participação do público idoso e contou com exposição de artesanato, serviços de saúde e um café da manhã especial.

Na ocasião, foi realizada apresentação de samba de roda do grupo Fonte de Alegria do Centro Social Urbano da Liberdade. O secretário de Justiça, Carlos Martins, explica que o ato intercultural é uma forma de chamar atenção para a pessoa idosa. “A Bahia tem hoje 2 milhões de pessoas idosas, nos últimos dez anos essa população passou de 10% para 15%. Além disso, pesquisas indicam que até 2030 teremos 3 milhões de pessoas idosas no estado, ou seja, acima de 60 anos. É preciso uma atenção especial à essas pessoas que hoje sofrem violências físicas, psicológicas, abuso financeiro e até mesmo fome”.

Ainda de acordo com o secretário, há dados preocupantes, como por exemplo, dos registros na Delegacia Especial de Atendimento ao Idoso, 18 registros são realizados por mês, ou seja, a cada dois dias um idoso é agredido. Carlos Martins afirma que 56% das agressões e crimes contra idosos são cometidos por um familiar e 85% dos casos ocorre no ambiente familiar.

“A gente precisa se preocupar com este cenário e colocar para a sociedade que políticas públicas, acolhimento e toda uma atenção especial deve ser ofertada aos idosos para que a gente possa melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. Nos Centros Sociais Urbanos temos políticas públicas que valorizam os idosos e oferecem atividades a este público em que 56% têm problema de hipertensão e 42% diabetes. Eles precisam estar em movimento é essa é a ideia que queremos passar no dia de hoje” acrescenta Carlos Martins.

Para o presidente do Conselho Estadual da Pessoa Idosa, Padre Zé Carlos, ressalta que é necessário chamar atenção para a invisibilidade dos idosos. “A sociedade teima em não reconhecer a Pessoa Idosa e por isso relega a um terceiro ou quarto plano. Existe a necessidade de eventos como esse para que a gente celebre e mostre a presença do idoso na sociedade. O idoso não é uma coisa descartável, ele precisa de atenção, acolhimento, cuidados, saúde, educação, trabalho e que deve ser respeitado e valorizado no quadro social que vivemos hoje”.

Aos 70 anos, Iraildes Porto integra o grupo de samba de roda do Centro Social Urbano (CSU) da Liberdade e “com muita vontade”, como faz questão de pontuar. “O idoso não tem que sentir velho, acabado e muito menos ficar em casa tomando conta de neto. Temos que estar na rua, se distraindo e aproveitando a vida, que é uma chance única”.

Um ato religioso com representantes da igreja católica, evangélica, de centro espírita e das religiões de matrizes africanas também foi realizado na manhã desta quarta. A programação festiva no Pelourinho segue até o final da tarde com apresentações culturais de samba de roda, acupuntura, entre outras.

fonte: secom.ba.gov.br

Post Author: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *